Por vezes ficamos apenas criticando, falando de iniciativas que não deram certo. Isso se incrementa quando falamos de política: “Há desvio público de verbas”, “empresas privadas apenas querem lucrar”, etc. Porém acho que é mais interessante ao invés de apenas falarmos mal, pontuar quando boas iniciativas se dão.

Li há pouco que o governo do estado do Rio de Janeiro formalizou uma acordo de parceria com a Microsoft Brasil para um projeto de inclusão digital entitulado Shape the Future. A parceria visa capacitar jovens em áreas de baixo desenvolvimento humano (ver IDH). Zonas normalmente à margem de políticas públicas, mas que há pouco tem sido lembradas com as ocupações sociais, pacificações, UPPs, deverão ter prioridade nesse programa.

Para além de estimular o campo da tecnologia da informação através da inclusão social, a iniciativa visa fomentar um mercado de trabalho que carece de bons profissionais, o que é algo louvável para o panorama nacional. Ainda mais, de acordo com Michel Levy, presidente da Microsoft Brasil, o programa visa aumentar a distribuição de cursos e softwares para essas comunidades, visando estimular o uso de programas legais e capacitar os usuários. Ainda há projetos para o ensino profissionalizante em áreas correlatas, como o curso de inglês, que entrará como um agregador em tempos de eventos internacionais como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Esse tipo de informação serve para desconstruir vários mitos, inclusive contrários à Microsoft. Porém, temos que nos policiar pois sabemos que estamos em ano eleitoral e essa iniciativa pode e é marketing para gigante de dados. Convém encerrar a análise da parceria com uma ditação de Levy, que resume a integração entre política, educação e tecnologia.

“Queremos promover a empregabilidade, dar mais oportunidades com a capacitação nas comunidades. A ideia é darmos acesso digital a todo cidadão. O Governo do Estado tem um projeto ambicioso para aumentar a empregabilidade. Nas escolas, já fazemos a capacitação de alunos e professores e vamos ampliar isto.”

Fonte: JBOnline

DEIXE UMA RESPOSTA