A cada dia surgem novas redes sociais, cada vez mais especializadas: a tendência são as redes sociais de nichos e a bola da vez parece ser o Scoville. Lançado recentemente, ele é uma ferramenta que combina geolocalização com um sistema de indicações para criar um guia de locais e estabelecimentos interessantes.

Peraí, acho que já ouvi falar em algo parecido…  Não é à toa que o serviço se parece muito com o foursquare, inclusive é necessário possuir uma conta por lá, ou então no Facebook, para poder usar o Scoville. Entretanto, ao contrário do que possa parecer, o Scoville não é uma cópia do foursquare, nem tenta substituir o mesmo.

O que é o Scoville

O Scoville é um serviço que se propõe a organizar, catalogar e filtrar os locais disponíveis no foursquare (e também no sistema de checkins e geolocalização do Facebook). O que acontece é que existe um hábito muito grande de pessoas que fazem checkin ao chegar no trabalho, em filas de supermercado, em inúmeros outros lugares que não são de interesse geral. A proposta do Scoville é “garimpar” os lugares mais interessantes, organizando em categorias similares e aplicando recomendações baseado em opiniões dos usuários.

Como conseguir um convite para o Scoville

Por enquanto, o cadastro é exclusivo para pessoas que já tenham mais de 100 checkins no foursquare ou no facebook. Pessoas com menos do que essa quantidade podem entrar através de um convite, interessados podem me pedir um convite no twitter.

Como o Scoville funciona

Ao se cadastrar, o sistema pede autorização de acesso aos seus dados, tanto no Foursquare quanto no Facebook. A partir daí ele determina qual a sua cidade de residência, e agrupa os seus check-ins por categorias (por exemplo: bares, restaurantes, museus, cinemas, galerias de arte, etc). As categorias não são novidade, já existem tanto no Foursquare quanto no Facebook. A grande sacada, além de agrupar estabelecimentos do mesmo gênero juntos, é colocar um botão de “like” do lado de cada check-in.

Catalogando de forma ainda mais refinada existem os “likeboxes”, que funcionam como um agrupamento de lugares de um mesmo gênero que cada usuário goste. Por exemplo, se você é fã de restaurantes japoneses, é possível criar uma likebox só com os seus restaurantes preferidos:

Quando existem mais de 10 pessoas na mesma cidade com uma likebox do mesmo gênero, o Scoville cria automaticamente um guia dos melhores, o “best of”:

Além de agrupar os estabelecimentos, os usuários também são agrupados de acordo com as suas cidades. Cada cidade permanece com status como “vila”, etc, com menos de 1000 usuários no Scoville. Toda terça-feira, o Scoville tem o “top tuesday”, uma espécie de “follow friday” de recomendações de lugares.

Integração com outras redes

O Scoville centraliza dados de fontes diferentes: existem atualmente três grandes nomes com sistemas de check-in, além do foursquare existe o Facebook e o Google Latitude, desses três o único ainda fora do Scoville, mas eu não me surpreenderia caso isso mude no futuro.

Ao entrar no Scoville pela primeira vez, o sistema apresenta todos os amigos do Facebook, do Twitter e do Foursquare que já estejam cadastrados, permitindo segui-los e enviar convites àqueles que ainda não estejam. Os comentários podem ser feitos diretamente no Scoville ou são buscados automaticamente no foursquare. Os checkins e atividades podem ser compartilhados automaticamente no twitter e no facebook.

Considerações

Existem alguns críticos que afirmam que o Scoville não faz nada de novo, usando recomendações já existentes no foursquare e se apoiando nos hashtags do twitter e no envio automatico de convites e tweets para beneficiar muito mais o próprio scoville com propagandas automáticas.

Enquanto isso não deixa de ser verdade, também é verdade que o foco do foursquare é o que os seus amigos estão fazendo agora, onde eles estão nesse momento e com quem, enquanto o foco do Scoville é quais são os lugares mais interessantes na sua cidade, e o que os seus amigos (ou até mesmo estranhos) acharam daquele lugar. Considerando o sucesso estrondoso do botão like do Facebook, as recomendações baseadas em redes sociais não são pouca coisa.

Outra consideração interessante é a interface, muito bem produzida, leve, clean, e moderna com efeitos, animações e ações baseadas em Ajax bem no estilo “web 2.0”, sendo inclusive possível convidar ou adicionar amigos diretamente da sidebar, clicando um botão, sem deixar a página; e as notificações surgem em pequenas janelas popup ao estilo do MSN.

DEIXE UMA RESPOSTA