Lançado em 15 de junho pela Samsung, o Chromebook Series 5 é o primeiro notebook a vir de fábrica com o sistema operacional do Google. O site techradar fez um review bem interessante do aparelho, e para quem é geek mas não sabe nada de inglês não quer ler 5 páginas destacamos aqui os principais pontos do artigo.

Mas, antes, um pouco de história:

Em 2009 a palavra da vez eram os netbooks (portáteis mais “leves”, de tamanho e capacidade de processamento reduzidos, que custam menos, consomem menos energia e são ideais para navegar na internet e realizar tarefas “on-line”) e o cloud computing – a idéia de que cada vez mais vamos armazenar os dados online, fora dos computadores.

Chromebook, o notebook do Google

Apostando na convergência entre os dois conceitos, o Google lançou o Chrome OS: um sistema operacional leve, extremamente simples e voltado para a experiência online. O recém-lançado Chromebook  é um netbook rodando o Chrome OS. Nele, a “nuvem” é o centro do sistema operacional. Não existe a “área de trabalho”, a janela do navegador é a janela do sistema. Nenhum programa é instalado diretamente no SO, mas rodam no browser ou através de uma app store. Os dados são sincronizados instantaneamente em qualquer dispositivo com contas do Google.

Segundo a equipe do techradar, “o Chromebook irá enfrentar desafios por ser o primeiro da sua categoria”. Sua simplicidade é “ideal para quem quer usar o computador sem se preocupar em ficar configurando ou ajustando”. A simplicidade e o foco no essencial se refletem também no teclado, com menos teclas, maiores que as comuns.

Por ser um “cloud computer”, o Chromebook exige uma conexão ininterrupta à internet – não só porque contam com meros 16GB de armazenamento, como pelo próprio modelo de cloud computing depende de apps que nem sempre trabalham offline. Os modelos 3G vêm de fábrica com um cartão pré-pago e 3 GB de bônus.

Ainda segundo o techradar, dois diferenciais são a duração da bateria (mais de 8 horas) e a velocidade de boot (menos de 10 segundos). Pontos considerados negativos foram a performance do hardware, fraco para mais do que apenas navegar (não reproduz vídeos a 1080p sem falhas) e o resultado insatisfatório em benchmarks de Javascript. Ressaltou ainda o navegador de mídia, que abre como uma nova aba do navegador ao se conectar dispositivos externos, mas que apresenta suporte reduzido (.mov e .MP4, mas não avi DviX ou .wmv)

Características do Samsung Chromebook

  • Processador: 1.66 GHz dual-core Intel Atom N570
  • RAM: 2 GB DDR3
  • Gráficos: NM10 Graphics Chipset (integrado)
  • Armazenamento: 16gb SSD
  • Tela: 12.1” LED (WXGA), 1280 x 800
  • Peso: 1.5kg
  • Conectividade: Wifi / 3G (opcional)
  • Duração da bateria: 8 a 9 horas.
  • Portas de Expansão: 2 USB, 1 VGA, 1 leitor de cartões SD / SDHC / SDXC / MMC, 1 entrada SIM card GSM 3G (opcional)

(Fonte: Samsung)

Pontos fortes:

  • Simplicidade
  • Velocidade de boot
  • Dados sincronizados e presentes em qualquer lugar

Pontos fracos:

  • Baixa performance a um preço caro quando comparado à concorrência.

Considerações finais

Todas as “novidades” do Chromebook, como o boot em menos de 10 segundos, as telas grandes e o design simples, o foco na nuvem, sincronização, etc já estavam presentes não só no protótipo CR48 (que foi apresentado no final do ano passado com um vídeo bem legal), mas também na apresentação pública do Chrome OS, um ano antes.

Além disso, é bom lembrar que no quesito “preço”, alguns aparelhos chegam a custar de 3 a 5 vezes mais caro no Brasil. Quando os gringos reclamam do preço, é mau sinal. Lá o Chromebook 3G custa 400 libras, e no vídeo oficial do produto há comentários de que por esse preço, um smartphone possui mais funções. Paradigma diferente ou não, é algo a se pensar.

Fonte: Techradar | Wikipedia | Samsung

DEIXE UMA RESPOSTA