Home Apple

Apple paga milhões devido a infração de patente

Em 2014, a Apple começou a disputa com a Universidade de Wisconsin, mais precisamente a WARF (Wisconsin Alumni Research Foundation), a qual alegava que a empresa violou a patente dos processadores: A7, A8 e A8X; utilizados em iPhones e iPads.
Um veredito do juiz William Conley, nos EUA, veio em outubro de 2015, quando a Apple perdeu e teve que pagar US$234 milhões à instituição (após deliberação do júri).

A Apple está apelando contra a decisão do juiz Conley, de acordo com documentos judiciais.

A WARF processou a Apple em 2014, alegando que os processadores encontrados em algumas versões do iPhone infringem uma patente que descreve um “circuito preditor”, o que melhora o desempenho do processador ao prever as instruções que o usuário dará ao sistema. O professor de ciência da computação da Universidade de Wisconsin, Gurindar Sohi, e três de seus alunos obtiveram esta patente em 1998.

A Apple, com sede em Cupertino e Califórnia, negou qualquer infração durante seu julgamento perante o juri em 2015 e argumentou que a patente é inválida. A Apple também incentivou o Escritório de Patentes e Marcas dos EUA a rever a validade desta patente, mas a agência rejeitou a oferta.

Um juiz Conley nesta segunda-feira, 26 de julho, pediu à Apple Inc que pague US $ 506 milhões por infringir a patente licenciada de propriedade da Universidade de Wisconsin-Madison, mais do que dobrando os danos inicialmente impostas à Apple pelo júri em 2014 que foi no valor de $ 234 milhões .

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here