Home Mobile Surface

Windows 10 Cloud no ARM dá à Microsoft um poderoso rival do Chromebook

Inicializado em outubro de 2012 com uma versão do Windows 8 para processadores ARM, o Windows RT oferece alguns dispositivos pioneiros, como o primeiro Lenovo Yoga e o primeiro tablet Surface. Estes e outros dispositivos Windows RT tiveram vantagens significativas em termos de custo e duração da bateria em relação aos dispositivos Windows 8. Além disso, RT representada uma ameaça à Intel que a gigante x86 finalmente fez a sua arquitetura onde a utitlização de chip foi uma opção para tablet viável. Mas sua versão do Office estava no topo de uma área de trabalho aleijada que não podia executar outros aplicativos de desktop do Windows. Isso levou a Dell e a HP a evitar o suporte, e, finalmente, sua desgraça. O Windows RT não tinha nenhum caminho de atualização para o Windows 10.

Em retrospectiva, porém, o Windows RT foi apenas um passo em falso na longa busca da Microsoft para mover o Windows além de processadores x86. Assim em curso com o Windows 10, a Microsoft anunciou em dezembro que iria desenvolver uma arquitetura ARM do Windows explicitamente para processadores Qualcomm Snapdragon. É incomum para a Microsoft trabalhar com um fornecedor em uma arquitetura aberta, mas Qualcomm representa um ideal em termos de um fornecedor neutro com forte presença no mercado que quer seus chips nos dispositivos móveis de terceiros mais poderosos. Enquanto a NVIDIA, por exemplo, estava por trás dos dois primeiros Surface, a empresa tem voltado sua atenção para longe do mercado de tablets após o desaparecimento do RT.

Filosoficamente e aparentemente a Microsoft parecia estar melhor posicionada para fazer do Windows-on-Snapdragon um produto melhor do que o RT. Como ficou claro no decorrer do desenvolvimento do Windows 10, a empresa reabriu e avançou o desktop depois de negligenciá-lo no Windows 8. Entender a demanda do cliente para executar qualquer aplicativos do Windows, prometer que uma nova capacidade de emulação irá fornecer um desempenho satisfatório Para aplicativos x86-nativos.
Mas surgiu a notícia de que a empresa pode estar trabalhando em um ” Windows 10 Cloud”, que iria perder o suporte para aplicativos legados. Este aparece para resolver uma oportunidade que observada em 2014 , quando foi dito que a Microsoft “poderia ter tido uma oportunidade para se posicionar contra Chrome OS com o Windows RT.” Se este sistema operacional estivesse destinado a assumir o Chrome OS, seria muito sensato suportá-lo em processadores ARM, mas então o Windows 10 Cloud em um processador Snapdragon pareceria muito próximo arquitetonicamente ao Windows RT. Por que a Microsoft repetiria o erro ?

A razão mais clara é que as coisas mudaram o suficiente para minimizar a inconsistência de interface do Windows RT e a escassez de aplicativos. Por exemplo, há uma diversidade maior para os aplicativos disponíveis em Windows 10 agora do que havia para o Windows 8 e para o RT. O mais importante entre estes, pelo menos para a Microsoft, é o Office, a principal razão para a interface fraturada do Windows RT. O Windows 10 Cloud provavelmente ainda forneceria um desktop que seria útil para cenários de laptop tradicionais, mas o Windows 10 alterna entre padrão e “modo tablet” de uma forma muito mais sensata do que o Windows 8 ou o RT.

Além disso, a Microsoft estava odiando adotar uma abordagem somente para Web quando quer que os desenvolvedores continuem a oferecer suporte a aplicativos nativos. Dito isto, um navegador web de primeira classe é importante para os educadores e outros clientes que podem querer bloquear aplicativos locais. A Microsoft não tinha uma grande história para contar lá nos últimos dias do Internet Explorer, o que na verdade agora já faz parte do processo de utilização do Edge.

De muitas maneiras, um Windows 10 Cloud-on-Snapdragon pode se quebrar com o Windows RT. Mas, como aconteceu com o Windows RT, a Microsoft está prometendo um bando de dispositivos tentadores, como o Surface 4, que abrem terreno em conectividade e mobilidade. É simplesmente pedir aos clientes para sacrificar menos para adotá-los.

Não se sabe ainda o que esperar desta novidade da Microsoft, mas ainda podemos aguardar surpresas pelo visto.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here